© 2019 Escola Casinha Feliz criado por FabrikArt

  • Facebook Escola Casinha Feliz
  • Instagram Escola Casinha Feliz
  • Casinha Feliz

Contando & Preservando Histórias

Sempre contamos histórias, não é de hoje que temos um apreço pelo passado e pelas memórias que ele constrói. Durante todo o curso da humanidade, narrativas foram ferramentas utilizadas para contarmos o significado de algum acontecimento, marcar um registro histórico e perpetuar vivências tanto do imaginário, quanto da vida real.

As turminhas dos Encantos conheceram a Bruxa do Vale Encantado!

Na educação infantil, o contato com o mundo dos livros é um diferencial na formação da criança. É através das histórias que ela inicia uma trajetória de autoconhecimento acerca de suas afinidades, aversões, medos e sonhos. Seja um conto de fadas, ou uma obra sobre monstros terríveis, um livro carrega muito mais do que ilustrações e algumas linhas que exercitam a alfabetização. As páginas de um livro são reflexos das etapas de desenvolvimento de cada pequeno enquanto indivíduo, retratando os conflitos de sentimentos e construções de cada traço da personalidade que aos poucos desperta em seus coraçõezinhos.


A comunicação por meio da narração de histórias fala as crianças mais profundamente do que a linguagem literal, a linguagem do pensamento; dramatizar com bonecos ou fantoches, representando aquilo que se quer dizer através do desenho ou pintura é fazer uso da linguagem imaginativa, essa é naturalmente a linguagem infantil.

A contação de histórias no psiquismo infantil - Ampliando o espaço da contação de história

Linete Oliveira de Souza


Para que o conteúdo seja transmitido de forma interessante ao ouvinte, não basta que a história seja somente lida e apresentada, ela precisa de uma real devoção do adulto. Ele, enquanto mediador daquelas aventuras repletas de personagens da imaginação infantil, é quem transmite os acontecimentos de maneira encantadora - pontuando os arquétipos e mostrando os caminhos até a apresentação dos significados para a criança. Por mais cognitiva que seja a absorção deste conhecimento, as narrativas precisam ser entregues através de gestos, entonações diferentes e construções lúdicas que proporcionem a imersão dentro das páginas.




A turma da Amizade achou um cantinho na Casinha Feliz pra compartilhar o sol - e histórias



Às vezes uma simples escolha de local para realizar a contação pode ser essencial na hora de trasmití-la - como, por exemplo, um cantinho ensolarado dentro do espaço escolar, ou uma barraca montada em um ambiente mais aconchegante. Outras perspectivas podem ser trazidas também para dentro de uma contação através de projetos que trabalhem a linearidade narrativa em cada atividade, de forma que a própria história cria vida e os personagens começam a pular para fora do livro. Toda a linguagem absorvida neste período é repetida nas pequenas coisas, em casa, na rotina, quando os pequenos saem pelos portões da escola contando o que aprenderam. Contar histórias com paixão e magia é ter a capacidade de transformar o imaginário em realidade, em tornar as palavras inesquecíveis na vida de uma criança. No nosso #JeitoCasinhaDeSer preservamos histórias - as nossas, das crianças e as trazidas de berço, criando espaços onde até mesmo a bruxa seja bem-vinda para partilhar da bagagem que cada um traz. Acreditamos que assim perpetuamos valores, ideias e fortalecemos o crescimento de pessoas felizes e mais criativas.


Texto por "Tio Delson"

Pesquisa "Tia Adri", coordenadora pedagógica.

45 visualizações
  • Facebook Escola Casinha Feliz
  • Instagram Escola Casinha Feliz